Placa Mercosul: o que muda com a nova identidade dos carros

NotíciasNovidadesNovidades


Escrito por:

Novo formato dificulta clonagem e localiza o carro mais rapidamente em caso de roubo.

O QR Code é a maior novidade da nova placa Mercosul,

Você já deve ter reparado quem vem aumentando nas ruas o número de automóveis licenciados com a nova placa Mercosul, aquela com quatro letras e três números dispostos de maneira aleatória.

A identidade padrão criada em 2014 para os veículos de Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai permite a criação de mais sequências de letras e números para as frotas dos países. A placa Mercosul tem uma faixa azul na parte superior e a bandeira do país.

Mas a principal novidade é o QR Code (código de barras bidimensional) e um chip com sensor de radiofrequência que ajudam a localizar o veículo em caso de roubo, além de permitir o acesso rápido aos dados do automóvel.

Outras vantagens do QR Code – que substitui o lacre – é prevenir clonagens do veículo e de poder ser lido por meio do aplicativo Vio, cujo download é gratuito para dispositivos Android e iOS.

Agora, todos os modelos 0 km deverão ser licenciados com a placa Mercosul, o mesmo acontecendo com os carros em processo de transferência de município. No veículo usado, a mudança será obrigatória quando ele for transferido para um novo proprietário.

A rigor, a placa Mercosul estreou no Rio de Janeiro em setembro de 2018 e agora está disponível em São Paulo, Acre, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia e Rio Grande do Sul. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), cerca de cinco milhões de veículos já estão circulando com a placa.

O Denatran afirma que o novo formato possibilita 450 milhões de combinações diferentes, compartilhadas entre os países que adotam a identificação. Um banco de dados integrado facilita que agentes de trânsito e polícias consultem rapidamente as informações do veículo.

A cor dos caracteres da placa Mercosul muda conforme a categoria do veículo. Veja as possibilidades: preta (carro particular), cinza (veículo de coleção), vermelha (comerciais ou de autoescola), amarela (automóveis diplomáticos), verde (carro de testes) e azul (de órgãos oficiais)

 

Foto

Crédito – Divulgação/Detran

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *