Ford Ranger 2020 tem nova suspensão e elimina motor flex

LançamentosNotíciasNovidades


Escrito por:

Nova Ranger ganha conforto de automóvel de passeio e agora é movida só a diesel.

Na grade frontal, a Ranger tem duas novas barras com o logotipo da Ford.

A Ford acaba de realizar a segunda reestilização da atual geração da Ranger – a primeira aconteceu em 2016. As alterações de design são mínimas, mas não pense que por isso ela mudou pouco. Muito ao contrário: as principais modificações estão muito bem escondidas e – pode apostar – deixaram a picape bem melhor.

A montadora redesenhou 600 peças e o conjunto mola-amortecedor e fez três novos acertos de suspensão. Autoline conferiu o resultado das mudanças no test-drive de 150 km em Mendoza (Argentina), em um percurso que misturou estradas asfaltadas e de terra.

Além disso, houve uma avaliação off-road que exigiu muito trabalho da tração 4×4, com direito a perda de aderência e uma das rodas suspensas, sem contato com o solo.

A tampa da caçamba está mais leve para ser aberta ou fechada.

A Ford Ranger 2020 deixou para trás aquele pula-pula característico das picapes quando encaram uma pista repleta de oscilações. Agora, a sensação é de dirigir um automóvel de passeio com caçamba tamanho o conforto a bordo.

A suspensão aprimorada não é a única novidade da nova Ranger. Ela voltou às raízes e está oferecendo ao consumidor brasileiro apenas versões com motor diesel, descartando o flex.

“O imaginário do consumidor de picapes é diesel e vamos nos concentrar nele”, explica Antonio Baltar, diretor de marketing, vendas e produtos da Ford Brasil.

Mas há uma razão menos romântica e mais prática – e comercial — para explicar a aposentadoria do motor flex. Ele respondia por apenas 8% das vendas da Ranger, mix que não justificava a continuidade de sua produção. A picape passa a ter só motores diesel 3.2 (de 200 cv de potência) e 2.2 (160 cv).

Os acertos de suspensão deixaram a picape mais confortável até mesmo no off-road.

Fabricada na unidade argentina de General Pacheco – que abastece os mercados da América do Sul –, a Ranger 2020 chega ao Brasil sem aumento nos preços. Confira as versões:

XL 2.2 4×4 manual: R$ 132.320
XLS 2.2 4×2 automática: R$ 128.250
XLS 2.2 4×4 manual: R$ 147.520
XLS 2.2 4×4 automática: R$ 154.610
XLT 3.2 4×4 automática: R$ 176.420
Limited 3.2 4×4 automática: R$ 188.990

Quem gosta de colocar a Ranger em trajetos off-road mais radicais vai aprovar uma outra mudança da picape: a possibilidade de vencer trechos alagados com até 80 cm de profundidade. O pedido de maior capacidade de imersão apareceu de forma recorrente nas pesquisas da Ford feitas com consumidores.

O proprietário que utiliza a Ranger para levar carga no dia a dia também terá uma grata surpresa. A caçamba ganhou uma barra de torção na tampa que a deixou muito mais leve para abri-la ou fechá-la. Segundo a Ford, a redução de esforço na hora de manuseá-la é de 70%.

A Ranger possui uma série de dispositivos em prol da segurança.

Se no visual a Ranger 2020 mudou pouco – novas barras na grade dianteira e uma antena menor na parte traseiro do teto –, em tecnologia ela está repleta de recursos que visam a segurança.

A picape traz sistema anticapotamento, sete airbags e sistema de permanência na faixa de rodagem, que alerta o motorista se ele troca de pista de maneira involuntária. Os faróis foram redesenhados e aumentaram a eficiência em 25%

No mercado brasileiro, a Ranger está em quarto lugar no ranking de picapes grandes, atrás de Toyota Hilux e Chevrolet S10. Com as mudanças técnicas e preços competitivos, ela espera virar o jogo.

 

Fotos

Créditos – Divulgação/Ford

One Reply to “Ford Ranger 2020 tem nova suspensão e elimina motor flex”

  1. Ronny Opdebeeck disse:

    Qual o plano de financiamentop da Pick Up 2.2, 4×2 automática oferecido pela FORD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *